Dicas para Mamães

Acerte nas escolhas das roupas do seu bebê

A chegada de um bebê é um momento mágico e único para os pais. Escolher os móveis do quarto, os primeiros brinquedos e até mesmo separar as roupinhas, tornam este momento ainda mais especial. No entanto, tanta empolgação pode acabar gerando equívocos, principalmente no que diz respeito à escolha das roupas do bebê. Mas afinal, o que realmente vale a pena comprar?

Claro que sempre devemos levar em conta as necessidades e demandas das crianças com à medida que elas forem crescendo. Por isso, a quantidade e o tipo de roupa irá variar conforme os hábitos da família e a estação do ano. Pensando nisso, selecionamos algumas dicas gerais que podem facilitar bastante a tarefa de compor o enxoval de um recém-nascido.

 

01 – Fique atento às estações do ano

Antes de criar o enxoval, calcule em que estação do ano a criança irá nascer:

– No verão opte por tecidos como de algodão, por serem mais leves e soltinhos. Os dias mais quentes pedem roupas mais práticas, dê preferência a bodies de malha.

– No outono ou primavera escolha peças com tecidos leves e de mangas longas.

– No inverno, além de tecidos mais grossos, opte por meias, luvinhas e gorros para aquecer as extremidades.

 

02 – Limite as peças de tamanho RN

Evite a compra excessiva de peças para recém-nascido, os famosos tamanhos RN. Essas peças são geralmente usadas em poucos dias ou até no máximo um mês, pois os bebês crescem muito rápido.

Nesta etapa, pense na compra para o dia a dia da criança em cerca de 6 unidades de peças básicas, entre: bodys de manga curta e longa, tapa-fraldas, meias, calças, macacões e macaquinhos. Inclua também dois ou três casaquinhos nessa lista.

 

03 – Atente-se aos saltos de crescimento

Os bebês podem triplicar o peso e altura no primeiro ano de vida, por isso os tamanhos das roupas podem variar conforme o biótipo, evitando as perdas excessivas das peças. O ideal é investir em roupinhas versáteis como calças sem pé, conjuntos de duas peças e vestidinhos, por exemplo.

Como é preciso trocar as roupas de um bebê várias vezes ao dia, o ideal é que cada tipo de peça tenha entre 5 e 7 unidades disponíveis, com tamanhos correspondentes para cada fase de 3 meses.

Atente-se às informações das etiquetas que indicam os tamanhos ideais para cada idade.

 

04 – Indique o tamanho ideal para os amigos e para a família.

Ainda na gestação ou até mesmo nos primeiros meses de vida, as mamães e as crianças costumam receber visitas de amigos e familiares, que geralmente acabam levando um presentinho como roupas e sapatinhos. Por isso, para os mais próximos, você pode até indicar o tamanho ou o tipo de roupa de que mais precisa, evitando o excesso de algumas peças.

 

05 – Escolha as cores certas

Se ainda na gestação não for possível conhecer o sexo do bebê, opte por roupas brancas, amarelas e verdes, consideradas neutras. Já na certeza, procure variar as cores, não se limitando em apenas uma, assim ficará mais fica mais fácil reaproveitar no futuro e você não enjoará facilmente.

Além disso, as peças mais claras não absorvem o calor como as peças escuras.

 

06 – Escolha tecidos estratégicos e que evite irritações.

A pele do bebê é muito sensível, por isso, é preciso prestar muita atenção aos detalhes das roupinhas, evitando cortes e golas apertadas, enfeites diversos, bordados, apliques, zíperes, ganchinhos e botões nas costas. Opte por peças com fechos de velcro, botões de pressão laterais e nos ombros, esses são os mais indicados.

Opte por peças como as malhas de fibra natural (100% algodão), especialmente o algodão egípcio que é extraído em um processo natural preservando as propriedades da fibra. Uma versão de algodão egípcio (esse nome se dá ao processo da colheita) é o peruano. Sim, apesar do nome egípcio, ele é feito no Peru pois se trata do processo e não da origem. Ele é muito macio e prático, pois pode ser lavado na máquina e não forma bolinhas.

Evite felpos, como moletons, lãs e veludos, que podem soltar muitos fiapos, provocando assim alergias nos pequenos.

Essas foram algumas dicas importantes para evitar um consumo excessivo de roupas e que auxiliam no conforto do seu bebê. Compartilhe essas dicas com aquela mamãe gestante que você conhece!

 

Fonte: Unimed/ Viver Bem