Dicas para Mamães

Comunicação assertiva com as crianças

Quem nunca ouviu a frase: “Meu pai sempre me falava isso…” ou “Minha mãe sempre repetia uma frase que me marcou…” e por aí vai.

Essas frases, ouvidas quando crianças, geralmente ficam marcadas na nossa memorias, pois são nessas primeiras relações de convívio onde o cérebro dos pequenos criam as chamadas sinapses, ou seja, as primeiras conexões.

Por esse motivo que quando conversamos com um bebê que está entrando na parte infantil, buscamos sempre conversar e ensinar o que acreditamos ser o certo.

Mas também é nesse momento que devemos escolher bem as palavras e frases que utilizamos.

Segundo a UNICEF em seu relatório: A transição dos cuidados na primeira infância, “são as interações, desde cedo, das crianças com os outros e, particularmente, com a família e com as pessoas que cuidam delas que estabelecem os padrões das conexões neurais e o equilíbrio químico. Tudo isso influencia quem elas vão ser, o que serão capazes de fazer e como irão reagir diante do mundo.”

Por isso, existem algumas frases e palavras que você deve falar sempre para os pequenos, são elas:

– Confio em você!
– Te amo.
– Você é muito especial.
– Estarei junto com você em qualquer situação.
– Sou muito feliz em ter você como meu filho.
– Você é capaz!
– Calma, eu te ajudo.
– Me conte o que você está sentindo.

Mas tudo tem o outro lado da moeda, ou seja, da mesma forma que existem situações onde devemos incentivar as crianças com palavras de afeto, também existem frases que devem ser evitadas, pois podem ser determinantes durante o processo de desenvolvimento social e emocional dos pequenos.

Abaixo separamos algumas palavras, que são muito fortes e são ditas na intenção de reprimir ou “chamar a atenção” para algo, porém, as crianças sentem e principalmente aprendem, guardam e podem reproduzir durante todo seu desenvolvimento. São elas:

– Você é egoísta.
– Para de agir feito um bebê.
– Vai ser assim e pronto!
– Não é não!
– Você é burro!
– Olha que menina(o) boazinha (bonzinho). – Comparação
– Isso não é brincadeira de menina/isso não é brincadeira de menino.
– Se você não fizer (tal coisa) ninguém vai gostar de você.

Mas sabemos que as situações acontecem de diferentes formas, afinal os pequenos estão em pura fase de descobertas, o que é essencial para o desenvolvimento deles.

Aqui listamos apenas algumas dicas, mas nada irá superar o convívio diário de pais e filhos, essa relação mágica e encantadora que nos enche de amor e ternura!

Fonte: revistacrescer.globo.com