Dicas para Mamães

Cuidados com os olhinhos das crianças

Em geral, acredita-se que os problemas oculares como a catarata e miopia, por exemplo, só ocorrem em pessoas com idades mais avançadas. Porém, a grande maioria surge ainda na infância e, muitas vezes, esses problemas vão se agravando com o passar do tempo ou através de hábitos inadequados. Por isso, fazer exames de rotina são necessários para permitir um diagnóstico precoce.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 1,4 milhão de crianças no mundo apresentam perda de visão em algum grau, a maioria em regiões carentes do planeta. Porém, 80% desses casos poderiam ser evitados ou tratados com uma consulta médica. 

Além disso, com a pandemia, houve um aumento no número de casos de miopia infantil, segundo uma pesquisa realizada pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO). Isso porque as crianças têm passado muito tempo na frente das telas dos aparelhos eletrônicos, seja por lazer ou estudo. Muito mais tempo assistindo TV, jogando videogame, mexendo em tablets e celulares, o que tem gerado consequências na saúde ocular. 

Para os bebês e recém nascidos, os cuidados devem começar ainda no pré-natal, quando é possível detectar e controlar doenças nas gestantes, como toxoplasmose, sífilis e herpes, que podem colocar em risco a visão do feto. Já no pós-parto, todos as crianças precisam passar pelo teste do olhinho, um exame essencial para investigar alterações que exigem intervenção médica urgente, tais como catarata congênita (maior incidência em bebês cujas mães tiveram infecção) e glaucoma congênito (um sinal é a fotofobia), além do retinoblastoma (tumor na retina, área que gera as imagens). 

Desde o nascimento, as crianças precisam passar por acompanhamento de especialistas. Entenda:

Até completarem 02 anos – (com sintoma ou sem) devem ser acompanhados por um especialista, preferencialmente a cada seis meses. Vale lembrar que até por volta dos seis meses de vida é normal algum desvio dos olhos, como por exemplo o estrabismo. Se o problema permanecer depois dessa idade, um oftalmopediatra precisa ser consultado.  

Após 02 anos – (se estiver tudo bem) a criança deverá ser examinada anualmente até os 10 anos. É na fase pré-escolar (dos 4 aos 6 anos) e na segunda infância (dos 6 anos até a puberdade) que costumam aparecer os erros de refração, como a miopia, astigmatismo e hipermetropia .

Dicas simples e práticas para manter a saúde ocular infantil:

01 – Realizar exames de rotina;
02 – Ficar atento a alterações nos olhos;
03 – Ter cuidado com o Sol;
04 – Controlar a exposição excessiva da criança ao computador, televisão e smartphone;
05 – Ter cuidado com os produtos que são utilizados próximos aos olhos, como cremes, shampoos e outros;
06 – Evitar coçar os olhos;
07 – Ter cuidado com a limpeza do ambiente, como poeira, mofo e ácaros.

Devemos lembrar que a negligência com a saúde ocular, nos primeiros anos de vida, afeta o desenvolvimento psicomotor e a capacidade de comunicação, com prejuízos ao bem-estar. Por isso é aconselhável sempre procurar por um profissional capaz de detectar e tratar o problema de visão da forma mais adequada, pois cada caso é um caso, além de garantir consultas frequentes ao oftalmo. 

Fonte: Hospital dos olhos e Saúde Abril

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.